Até a manhã desta sexta, 26 pessoas haviam sido presas

A Polícia Civil, através da DRACO/Pelotas, deflagrou, desde o final da tarde de ontem, a “Operação Astigmatismo”, decorrente de uma investigação da delegacia especializada. No total foram presas até o momento 26 pessoas.

Na ação foram cumpridas simultaneamente 56 ordens judiciais, sendo 28 mandados de busca e apreensão domiciliares, 26 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de busca e apreensão de veículos, bloqueio de valores em 14 contas bancárias, e o sequestro de um imóvel, em sete municípios do estado do Rio Grande do Sul (Pelotas, Morro Redondo, Arroio Grande, Campo Bom e Xangri-lá).

Durante as investigações, iniciadas em maio deste ano, comprovou-se a existência de um grupo criminoso organizado para a prática do tráfico de drogas, que era responsável por abastecer grande parte do crack e da cocaína movimentados nos municípios de Pelotas e região.

De acordo com anotações apreendidas em poder dos investigados, o grupo movimentava entre 350 e 400 mil reais por semana em drogas, totalizando mais de R$ 1.500.000,00 (um milhão e 500 mil reais) por mês.

Ao longo dos seis meses de investigações, foram presos 10 indivíduos, sendo um deles identificado como a liderança do grupo em Pelotas, JMS, vulgo “Dioninha”. Além disso, foram interceptados dois carregamentos de drogas quando chegavam ao município de Pelotas, totalizando mais de 10 kg de cocaína e aproximadamente 15 kg de crack.

Além das drogas, o grupo criminoso possuía em depósito muitas armas de fogo, várias delas apreendidas durante as investigações. Dentre o armamento apreendido, havia cinco fuzis, quatro pistolas calibre 9 mm, duas espingardas calibre 12 semi-automáticas, e farta munição de calibres variados.