Escutas foram autorizadas pela Justiça, em investigação feita pelo Ministério Público do Paraná

Gravações obtidas pelo Jornal da Record a partir de uma investigação do Ministério Público do Paraná revelaram pela primeira vez o impacto que as transferências dos chefes da maior facção do país para presídios federais causou na comunicação interna da quadrilha.

Nas escutas, autorizadas pela Justiça, quem fala é Alexsandro Pereira, conhecido como Elias, que era o tesoureiro nacional da organização criminosa e foi preso nesta semana. Em uma das conversas, ele reclama das ações do atual governo, especialmente de Sérgio Moro, e diz que o diálogo era mais fácil em gestões anteriores.