A antecipação da compra da gestão da Arena é só o ponto de partida para uma verdadeira revolução que o Grêmio pretende realizar

A antecipação da compra da gestão da Arena é só o ponto de partida para uma verdadeira revolução que o Grêmio pretende realizar.
A compra segue em tratativas e deverá ter desdobramentos nos próximos dois ou três meses.
Isto é um negócio.

Custará ao clube entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões/ano, inclusive com custos bancários. Hoje o Grêmio paga cerca de R$ 20 milhões pela migração dos sócios.  Em 2018, a renda bruta com a bilheteria ficou em R$ 38 milhões.

E depois?

O Grêmio pretende criar um Fundo de Investimentos para transformar o seu estádio num grande negócio. Todos os modelos de associações serão revistos. O clube quer aumentar a média de ocupação, que no ano passado ficou em 42%. Cuidará da comercialização dos camarotes e ampliará o número de shows.

É possível que a administração continue sendo feita pela Arena Porto Alegrense, obviamente com a gestão do Grêmio.

“Vamos remodelar tudo”, afirma o presidente Romildo Bolzan.