Derrota custou ao Inter uma posição e faz equipe colorada terminar rodada na oitava colocação

O clima de fim de ano azedou ainda mais no Inter. Com uma fraca atuação e sem criatividade na Arena Castelão, em Fortaleza, os colorados perderam por 2 a 0 para o Ceará e viram a possibilidade de classificação à Libertadores do ano que vem se afastar.

Com a derrota na 31ª rodada do Brasileirão, o Inter segue estacionado nos 46 pontos, e cai para o oitavo lugar na tabela. O grupo tenta a recuperação a partir do próximo domingo, quando enfrenta o Fluminense, no Beira-Rio. O Ceará, que foi a 36, se afasta um pouco do perigo da zona de rebaixamento.

Inter aguenta pressão, mas leva gol em seu melhor momento

O técnico Zé Ricardo promoveu alterações na equipe. Mas, ainda assim, os colorados não conseguiram se impor em Fortaleza. E, pouco a pouco, o Ceará começou a controlar as ações ofensivas, empurrando o Inter para a sua área.

Sem uma boa articulação nas jogadas, os colorados, por sua vez, tiveram em Patrick um desafogo. Aos 21, ele roubou a bola de Patrick na intermediária, invadiu a área e deu o primeiro chute a gol do Inter, que foi para fora. Cinco minutos depois, depois de falhar na tabela, Patrick recuperou de novo a bola e soltou a bomba. Desta vez, obrigou Diogo Silva a fazer uma boa defesa.

Pouco a pouco, o Inter foi crescendo no jogo, ainda que encontrasse dificuldades em uma defesa bem postada. Só que, falhando na marcação dos laterais, os colorados davam espaço para os contragolpes. E o Ceará foi tratando de aproveitar. Primeiro aos 36, com Pedro Ken, que chutou firme e cruzado – Danilo Fernandes defendeu.

O Inter voltou para frente. Aos 39, Pottker tocou para Uendel dentro da área. O lateral chutou firme na pequena área, só que não houve ninguém para complementar. Na sequência do lance, Lindoso chegou a receber dentro da área, mas foi desarmado por Valdo na hora da conclusão. O preço veio no minuto seguinte. Em rápida e boa jogada de contra-ataque, Samuel Xavier foi lançado às costas de Uendel e cruzou de primeira para onde estava apenas para empurrar para o fundo das redes.

Pouca criatividade castigada no fim

No que a bola rolou para o segundo tempo, o Inter se atirou o ataque e foi, gradualmente, aumentando a pressão contra o Ceará, que se retraiu. E logo aos 3, Guerrero perdeu uma chance incrível. Bruno Silva aproveitou a bobeada na saída e encostou para Paolo Guerrero. O centroavante, da risca da meia-lua, bateu direto, mas errou o alvo.

Pouco antes dos dez minutos, o time colorado tinha cerca de 80% da posse de bola. Mas esta em pouco se refletia em chances claras de gols e sim mais em cruzamentos. Um desses acabou gerando uma grande chance, aos 18. D’Alessandro cruzou da direita, Guerrero desviou e Bruno Silva completou. No reflexo, Diogo Silva espalmou para fazer uma grande defesa.

Zé Ricardo trocou. Sacou Pottker para a entrada de Wellington Silva e, depois, Bruno Silva para a entrada de Guilherme Parede. Já no fim do jogo, Rafael Sobis substituiu Guerrero. Foi dele o passe para Rodrigo Lindoso, de frente para o gol, exagerar na força e mandar para fora, em uma das últimas oportunidades.

No fim do jogo, um castigo maior. Em uma das raras oportunidades do Ceará na etapa final, Danilo Fernandes foi obrigado a fazer grande defesa no chute de Bergson. Só que Rodrigo Lindoso afastou mal e a bola sobrou para Mateus Gonçalves, livre. Ele, no bico da área, trouxe para o meio e bateu cruzado, sem chances, e piorou o que já era uma derrota ruim para o Inter.

Campeonato Brasileiro 2019 – 31ª rodada

Ceará 2

Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio (Eduardo Brock) e João Lucas; William Oliveira (Pedro Ken), Ricardinho, Fabinho e Felipe; Thiago Galhardo (Mateus Gonçalves) e Bergson. Técnico: Adilson Batista.

Inter 0

Danilo Fernandes; Heitor, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva (Guilherme Parede) e D’Alessandro; William Pottker (Wellington Silva), Patrick e Paolo Guerrero (Rafael Sobis). Técnico: Zé Ricardo.

Gols: Thiago Galhardo (41/1T) e Mateus Gonçalves (41/2T)

Cartões amarelos: Bergson e Pedro Ken (Ceará); D’Alessandro e Patrick (Inter)

Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (GO)

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)