Clube quer que torcedores parem de usar cânticos que tenham a palavra “macaco”

O Grêmio vai anunciar na próxima semana algumas medidas para tentar coibir qualquer ato de injúria racial em jogos do clube na Arena. Nesta quarta-feira, houve uma reunião com o Departamento do Torcedor Gremista (DTG) que tratou sobre a determinação de que as torcidas pararem com qualquer cântico com a palavra “macaco”.

Em entrevista à Rádio Guaíba pela manhã, o diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, admitiu que esses gritos são um problema para o clube, ainda que não os reconheça como uma forma de racismo.

“Tenho uma convicção pessoal de que esses cânticos não visam ofender ninguém, mas tenho explicado para as pessoas que não existem mais macacos nem na selva nem nas jaulas de zoológicos. Macaco é uma expressão que é o símbolo internacional da infâmia e do racismo. Então, não adianta querer dialogar que não é para ofender, que o outro tem o planeta dos macacos. Temos que terminar com qualquer mal-entendido. Não porque o Grêmio reconheça que os cânticos sejam racistas, mas porque eles causam mal-entendido e um desfavor”, afirmou o advogado.

A tendência é que o Grêmio passe a aplicar sansões às torcidas organizadas que seguirem cantando músicas com o termo macaco.

Denúncia

O Grêmio foi denunciado nessa terça-feira no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conduta de injúria racial cometida contra Yony González na Arena na partida contra o Fluminense em 5 de maio. O clube gaúcho será julgado na sexta, às 14h, e pode ser uma multa de até R$ 100 mil. Não há possibilidade de perda de mando de campo ou pontos no Brasileirão.

O ato de injúria racial não foi citado na súmula, mas a procuradoria do STJD usou as imagens para fazer a denúncia. A procuradoria destacou que a infração é de “alta gravidade e que na prova de vídeo é possível ouvir o xingamento ‘macaco’ vindo da arquibancada onde estava localizada a torcida do Grêmio logo após o atacante Yony González marcar o quinto gol do time carioca”.

O Grêmio fez uma varredura nas câmeras de segurança na Arena para tentar identificar o torcedor – possivelmente uma mulher pelo tom da voz – que cometeu a injúria contra Yony González. No entanto, não foi possível identificar o responsável.