Jogador não atuou no Gre-Nal, mas foi reclamar da arbitragem após o jogo e foi advertido

Desde a chegada de Zé Ricardo, Nico López passou a ser reserva no Inter e após o Gre-Nal protagonizou uma cena que indignou parte dos torcedores e gerou desconfiança por parte da imprensa. O uruguaio ficou no banco contra o Grêmio e não foi aproveitado. Após o apito final, o atacante foi até o árbitro Flávio Rodrigues de Souza para reclamar e acabou recebendo um cartão amarelo. Apesar de uma atitude estranha, ela gerou discussão, já que ele recebeu o terceiro e foi suspenso, o que o tira da viagem para Fortaleza, onde na quinta-feira, enfrenta o Ceará.

“O Nico tomou um cartão sem necessidade nenhuma e vamos ter que conversar com ele”, afirmou o vice de futebol, Roberto Melo. “Em relação ao Nico, vamos resolver isso internamente, como sempre”, destacou o executivo de futebol, Rodrigo Caetano.

Na súmula, Flávio de Souza relatou que deu o cartão amarelo para Nico López por ele “desaprovar com palavras ou gestos as decisões da arbitragem”. Conforme antecipou o Correio do Povo, a tendência é que o atacante seja negociado com o Tigres do México após o fim da temporada.

Apesar do bom histórico no clube, outro jogador que terá a atitude analisada pela direção é Marcelo Lomba. Ele deu um “carrinho” nas pernas do atacante Luciano e foi expulso aos seis minutos do segundo tempo. “(Marcelo Lomba foi expulso por) Dar uma entrada contra um adversário com uso de força excessiva na disputa da bola. (…) O jogador expulso permaneceu em campo por um tempo contestando a decisão da arbitragem, depois saiu de campo normalmente”, relatou o árbitro no documento oficial da partida.

A direção negou que Rafael Sobis tenha saído do vestiário da Arena rapidamente após a derrota, como alguns jornalistas observaram. “Ele saiu mais de meia hora depois, até porque fechamos (uma roda) para fazer a corrente de sempre, independente, de vitória ou derrota. Não foram cinco minutos”, afirmou Caetano, demonstrando irritação com as perguntas sobre o caso.

O dirigente também não gostou de ser questionado se os episódios refletiam que a direção e a comissão técnica estariam “perdendo o vestiário”. “Óbvio que não estamos perdendo o comando. (…) Quando os jogadores do Flamengo ficam chateados ou brigam é porque eles têm a capacidade de reação. Quando acontece no Inter é porque eles não querem reagir. Vamos manter o padrão de avaliação, por favor”, concluiu o dirigente.

O Inter volta aos treinamentos nesta segunda-feira, às 15h30min. O próximo compromisso é contra o Ceará, às 19h30min, na próxima quinta-feira, no Castelão.