Ainda faltam mais de dez dias para a Black Friday, que ocorre em 29 de novembro, mas os consumidores já podem se organizar para este dia de compras. A dica fundamental é pesquisar os produtos desejados antes do período da promoção, para verificar se os descontos realmente estão valendo a pena. De acordo com levantamento realizado pelo Núcleo de Pesquisa do Sindilojas Porto Alegre, a expectativa dos consumidores é receber descontos de, pelo menos, 38%.

Eletrodomésticos, móveis, celulares, televisores e eletrônicos em geral devem ser as categorias mais procuradas. O gasto médio deve ficar em torno de R$ 890 por pessoa, sendo que 43,6% dos consumidores pretendem desembolsar mais do que R$ 1 mil.

— As pessoas aprenderam a pesquisar com antecedência e estão certíssimas em fazer isso. E é também por esse motivo que muitas já sabem o que e quanto estão dispostas a gastar na data — explica o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse.

Segundo Kruse, a Black Friday deve ter um de seus melhores resultados no comércio este ano, em função da antecipação do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do pagamento da primeira parcela do 13º salário no mesmo período.

 

Fique atento

 

Realize pesquisa de preços, antecipadamente, por meio de aplicativos e sites para comparação de preços e certificação da real promoção.

Recomenda-se que o consumidor sempre faça a consulta da página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site, observado o cadeado de segurança da página.

O consumidor deve evitar clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais.

Prestar atenção para o prazo de entrega e informar-se antecipadamente sobre a política de troca da empresa são atitudes que ajudam a evitar problemas.

Nas compras realizadas via site ou aplicativo de lojas, o consumidor deve verificar se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto que o habitual.

Desconfiar e evitar prosseguir com a compra quando, nas páginas de lojas virtuais e ou aplicativos, ofertarem diversas formas de pagamento, porém, após realizado o pedido, apresentar erro e somente disponibilizar a forma em boleto bancário.

Os produtos nas vitrines devem apresentar informações de preços conforme forma de pagamento, ou seja, preço a vista, preço a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número das parcelas.