Começou nesta segunda-feira (10) um mutirão de combate ao Aedes aegypti no bairro navegantes, intensificando as ações de prevenção a proliferação do mosquito vetor de doenças como dengue, zica e chikungunya. São sete equipes trabalhando, reunindo todos os agentes de combate a endemias e agentes de saúde da zona urbana concentrados no bairro Navegantes. Junto deles, três agentes de campo da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde atuam também neste mutirão.

O bairro recebe a ação, pois, desde abril, foram encontrados nove focos com larvas em residências do Navegantes, colocando São Lourenço do Sul na condição de infestado pelo mosquito. A recomendação é para que as pessoas recebam os agentes e os acompanhem na fiscalização do imóvel. Quando são encontrados possíveis criadouros eles já são eliminados e larvas localizadas são recolhidas e encaminhadas para análise laboratorial.

O mutirão que iniciou nesta segunda-feira (10) tem previsão de seguir na terça-feira (11) com visitação em todos os imóveis do bairro Navegantes. Nas visitas da manhã desta segunda-feira já foram encontradas larvas que serão enviadas para análise que identificará se tratam-se de Aedes aegypti ou não. Também foram localizados vários possíveis criadouros em residências. Junto com o mutirão as equipes fazem orientações aos moradores e folders explicativos estão sendo entregues.

Evite o acúmulo de água

A prevenção ao mosquito exige empenho de todas as esferas. A eliminação de criadouros é responsabilidade de toda comunidade.  É importante que todos façam sua parte, evitando qualquer forma de acúmulo de água em que o mosquito possa colocar seus ovos. O mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável. Por isso é importante destinar corretamente pneus velhos ou furados, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno e evitar plantas que acumulam água nas folhas. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas. A principal dica que todos devem ter em mente é que toda e qualquer forma de acúmulo de água, mesmo que em pequena quantidade como uma tampinha de garrafa, já pode servir como local para o mosquito fêmea colocar ovos.

A Secretaria de Saúde tem 67 armadilhas instaladas na cidade. São pneus cortados ao meio com água. Essas armadinhas são visitadas uma vez por semana pelos agentes de combate a endemias e quando são encontradas larvas do mosquito, é realizada a Delimitação de Foco em um raio de 300m ao seu redor, com fiscalização em casas, comércios e terrenos. Foi neste trabalho que larvas foram encontradas em residências do bairro Navegantes, motivando a intensificação das ações de combate.

Há também no município 33 pontos estratégicos que são visitados a cada 15 dias, como cemitério, o chafariz da praça central, depósitos, borracharias e construções, por exemplo, justamente para verificar possível existência de larvas. Já os agentes de saúde receberam capacitação e ao visitarem as famílias também fazem a vistoria contra o mosquito Aedes aegypti.